domingo, 21 de outubro de 2018

DESAFIO RBE

 #Eu♥BE

SE TU VISSES O QUE EU VI...

Trabalho elaborado pela turma de 2ºano da escola EB1 do Parrinho.
Se tu visses o que eu vi, à moda de António Mota.

DIA DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES

Mensagem da comissária do PNL 2027, Teresa Calçada, sobre o Dia das Bibliotecas Escolares que se comemora, este ano, no dia 22 de outubro:
"O Plano Nacional de Leitura 2027 felicita as Bibliotecas Escolares portuguesas pelo seu trabalho diário de formação de leitores.

A biblioteca escolar destaca-se pela sua centralidade física e simbólica, constitui-se como um espaço físico e digital aberto, onde todos são bem-vindos, incrementando a ideia de uma cultura de leitura e escrita nas escolas.

Aprender a ler e ler para aprender são processos fundadores indissociáveis da ideia de educação. É necessário que na escola se leia de todas as maneiras, de forma autónoma e orientada, individualmente, a par e em grupo, em voz alta e silenciosamente, de forma extensiva e intensiva, sempre e em todo o lado, para aprender a manejar a informação de forma ética e crítica, estruturar o conhecimento, melhorar a aprendizagem e aumentar o sucesso educativo.

Com o objetivo de dar resposta a esta necessidade, o Plano Nacional de Leitura e as bibliotecas escolares juntam esforços para, colaborativamente, promoverem:

- a inclusão de períodos diários para a prática individual da leitura pelos alunos, com a iniciativa "10 minutos a ler";

- a gestão e o empréstimo às turmas de caixas com conjuntos de livros iguais para serem lidos sob a orientação do professor;

- a celebração de contratos de leitura autónoma com os alunos, tendo em conta as recomendações e as sugestões do Plano Nacional de Leitura 2027;

- o empréstimo e a circulação de livros entre a escola e a casa dos alunos para a leitura em familia;

- concursos, projetos, iniciativas várias que contribuem para fazer leitores.

1. É essencial que existam espaços, tempos e oportunidades nas escolas para estimular o prazer de ler. A aquisição de hábitos de leitura e do prazer de ler exige uma prática regular da leitura, o envolvimento emocional e a motivação pessoal dos leitores através de um exercício livre e voluntário. O acesso facilitado a um espaço de liberdade, de leitura independente, de iniciativas diversificadas de caráter informal concorre para estimular o prazer de ler e formar leitores para a vida. Sendo também um espaço para brincar e aprender de forma recreativa, a biblioteca escolar desenvolve, através dessa diversão em grupo, as capacidades intelectuais, linguísticas e socioafetivas dos alunos.

2. Hoje não basta saber ler. É necessário ler muito bem, independentemente do que lemos, das razões por que lemos, das linguagens, dos textos, dos meios, dos suportes e dos lugares físicos ou virtuais em que nos encontramos, e para isso é exigida uma competência muito sólida em leitura e escrita. Esta exigência de aquisição de uma nova competência leitora e de novas literacias implica repensar os ambientes e os modos de aprendizagem atuais. As bibliotecas escolares têm, neste contexto, um papel catalisador.

3. A biblioteca escolar é um espaço de leitura funcional e informativa, autónoma, onde se descobre e se sustenta o gosto pelo saber, onde é possível ler, investigar e usar de forma livre e com segurança todo o tipo de recursos, impressos e digitais, independentemente do seu formato e da forma de acesso, presencial ou online.

4. Como não só de literacia verbal se faz hoje a leitura, é também possível na biblioteca desenvolver muitas outras formas multissensoriais que se combinam cada vez mais com a palavra escrita e oral, dando lugar a uma nova multialfabetização ou transalfabetização que também a biblioteca deve acolher.

5. A escrita hoje, induzida por novos ambientes digitais e dispositivos móveis, faz-se maioritariamente em ecrãs, associando-se cada vez mais à oralidade e a outras linguagens e formas gráficas e visuais de comunicar, através do Facebook, do Youtube, do Instagram e de outras redes sociais. Por exemplo, como estratégia de motivação e pretexto para o exercício criativo da leitura e da escrita, pode recorrer-se às práticas correntes de escrita dos jovens em plataformas de Fanfic, grupos de leitura e escrita no GoodReads e Wattpad, produção de booktrailers, aplicações de storytelling, etc.

6. Hoje em dia, não só consumimos mas também produzimos informação. As bibliotecas são um espaço de produção e comunicação da imagem e da palavra, onde é possível aprender a trabalhar com tecnologias, plataformas e ferramentas digitais para a criação, a representação e a partilha da informação e do saber, independentemente da sua natureza, suporte ou formato.

7. A leitura é uma atividade social e as bibliotecas, um espaço público comunitário de encontro, empatia e inclusão, onde é possível socializarmo-nos e abrirmo-nos a outros olhares, realidades e modos de viver, ler e sentir.

8. As bibliotecas escolares são, igualmente, um espaço performativo de fruição estética e expressão cultural, onde se pode participar em atividades festivas, eventos artísticos e experiências vivas de leitura explorando a dimensão ostensiva, cénica e pragmática da leitura e dos textos

Aos professores bibliotecários, aos coordenadores interconcelhios, aos docentes e a todos aqueles que, todos os dias, constroem leitores nas e com as bibliotecas escolares, uma saudação especial no Dia das Bibliotecas Escolares."

quinta-feira, 18 de outubro de 2018

ABOLIÇÃO DA PENA DE MORTE - RECURSOS

150 Anos da Abolição da Pena de Morte em Portugal

"Portugal foi um dos primeiros países a inscrever no seu sistema legal uma lei de abolição da pena de morte para crimes civis, colocando-se na linha da frente dos países pioneiros do desiderato inspirador do filósofo milanês Cesar Beccaria."
Eis um banco de recursos sobre o tema, aqui.

TRABALHANDO PELA FOME ZERO - LIVRO DE ATIVIDADES



Da apresentação:
"Dia Mundial da Alimentação 
Gostaria de apresentar a todos as boas vindas ao Dia Mundial da Alimentação! Estou ansioso para partilhar a minha receita para um mundo livre da fome, e estão todos convidados a juntar-se a mim nesta missão. Eu sou a mascote para a edição de 2018 e nasci aqui mesmo, na sede da Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura - FAO."

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

MIÚDOS A VOTOS: OS LIVROS MAIS FIXES - 2018/2019

A Rede de Bibliotecas Escolares e a VISÃO Júnior voltam a organizar a eleição dos livros preferidos das crianças e jovens portugueses. Às crianças e jovens será dada a possibilidade, através de uma eleição realizada em todas as escolas, de votarem no livro de que mais gostaram até hoje.
O processo será semelhante ao de umas eleições políticas, promovendo simultaneamente a leitura e a cidadania: haverá recenseamento, apresentação de candidaturas, campanha eleitoral, votação e escrutínio dos votos, sempre com a participação dos alunos.
Durante a campanha eleitoral, estes defenderão junto dos colegas os seus livros preferidos – podendo fazê-lo em comícios, cartazes, programas de rádio e televisão, sessões de esclarecimento, debates…
A iniciativa é aberta a todas as escolas sejam públicas ou privadas, abrangendo alunos do 1º ao 12º ano de escolaridade e decorrerá durante o ano letivo de 2018-2019. 
As eleições decorrerão a 15 de março de 2019.
O resultado do escrutínio, que apurará a lista dos livros que as crianças e jovens portugueses mais apreciam, segundo o nível de ensino que frequentam, será conhecido a 31 de maio, numa cerimónia pública em local a anunciar.
Com esta iniciativa, os alunos ficarão a conhecer em profundidade como se desenrola um processo eleitoral e para que serve. Pretende-se cada vez mais dar voz às crianças e jovens portugueses, criando renovadas oportunidades na formação de cidadãos de pleno direito. Será disponibilizado às escolas material de apoio que lhes permita dar a esta ação o caráter de um processo eleitoral político.
A iniciativa, organizada pela VISÃO Júnior e pela Rede de Bibliotecas Escolares, conta com o apoio da Comissão Nacional de Eleições, do Plano Nacional de Leitura, da Pordata e da Rádio Miúdos.

SE EU FOSSE UM LIVRO…

As crianças do 1ºano sabem bem o que os livros pensam e sentem. Se cada criança fosse um livro...

  • Gostaria que me lessem, que me abraçassem e gostassem das minhas palavras.
  • Seria feliz porque os outros iam gostar das minhas palavras.
  • Gostaria que lessem as histórias que eu inventei.
  • Gostaria que me lessem para eu ficar muito feliz.
  • Queria ter asas gigantes e fazer voar os leitores para muito longe.
  • Gostaria que me tratassem bem.
  • Gostaria que me abrissem sempre as páginas.
  • Gostaria que me lessem todos os dias.
  • Gostaria que adormecessem agarrados a mim.
  • Gostaria que as pessoas pegassem em mim com as mãos limpas.
  • Não gostaria de estar esmagado no meio dos outros.
  • Não gostaria de estar fechado.
  • Gostaria de andar fora da biblioteca.
  • Não gostaria que me atirassem ao ar.
  • Gostaria de ser lido na praia.
  • Gostaria de dar informações sobre os animais perigosos, para as pessoas terem cuidado.
  • Não gostaria de me molhar.
  • Não queria que me rasgassem.
  • Queria ser lido ao ar livre.
  • Gostaria que não me sujassem as páginas.
  • Gostaria de ser um livro de História de Portugal, com reis, rainhas, príncipes e soldados.
  • Gostaria de ser um livro de palhaços para divertir as pessoas.
  • Gostaria de conversar com outros livros.
  • Gostaria que todas as crianças do mundo me lessem.